Pontos Concretos de Esforço


Seguir numa direção de crescimento espiritual e humano pressupõe iniciar um itinerário lógico e usar os meios que nos ajudem a manter fielmente essa direcção. 

As ENS deram o nome de PCE a esses meios que correspondem a atitudes interiores que precisam ser despertadas e assimiladas para que conduzam a uma nova forma de viver, meios que imprimem uma disciplina que ajuda os casais a pôr o Evangelho em prática na sua vida quotidiana. 

A decisão de “viver” os PCEs é uma adesão de coração e concretiza-se com um esforço de vontade: o esforço aplicado a cada ponto concreto que ajuda os casais a acolher o Espírito Santo que age neles, que os vai transformando pouco a pouco fazendo-os crescer ao desenvolver uma espiritualidade conjugal que os aproxima mais de Deus, um do outro e dos outros. Em plena liberdade, assumimos fazer esforços sobre seis pontos concretos que são um convite a:

• Escutar assiduamente a Palavra de Deus
• Encontrar-se todos os dias com o Senhor numa Oração Pessoal – meditação
• Encontrar-se diariamente, marido e mulher, numa Oração Conjugal e se, possível, familiar; 
• Dedicar, cada mês, um tempo para um verdadeiro diálogo conjugal sob o olhar do Senhor – Dever de se Sentar
• Fixar cada um para si mesmo uma Regra de Vida e revê-la todos os meses;
• Fazer todos os anos um Retiro vivido, se possível, em casal.

Veja aqui mais detalhes sobre cada PCE
(Clique na palavra para ser direcionado para o PCE específico)






Fonte: Documentos ERI “Os Pontos Concretos de Esforço e a Partilha” e “O Guia” .


ESCUTA DA PALAVRA


 “A Palavra de Deus é viva e eficaz.” (Hb 4, 12)

Deus fala pelas Escrituras, pela Criação, pelas suas intervenções na história humana, pelos outros, pelos Profetas e sobretudo pelo Seu filho, Jesus.

A escuta regular da Palavra de Deus permite não somente conhecer a Deus mas enraizarmo-nos melhor no Evangelho fazendo com que cada membro do casal entre em contacto directo com a pessoa de Cristo. E esse contacto é o pilar de toda a vida espiritual. A palavra criadora de Deus é sempre fonte indispensável de motivação e de energia para o nosso crescimento pessoal, para o nosso crescimento como casal e para a construção de um mundo melhor. Por isso as ENS convidam cada um a ouvir, diariamente, a Palavra de Deus, reservando um tempo para ler uma passagem da Bíblia, em particular dos Evangelhos, e reflectir sobre ela em silêncio para melhor compreendermos o que Deus nos diz.


Você pode ver a Liturgia diária aqui em nossa página


Reflexão:



^ Volta para o início

















 “Sede perseverantes e vigilantes na oração, acompanhada de ações de
graças.” (Col 4, 2) 

Somos chamados a dar o nosso tempo ao Senhor, para uma conversa pessoal com Ele e viver a sua presença.

Um tempo quotidiano de oração desenvolve em nós a capacidade de escuta e de diálogo com Deus que permite que tomemos consciência do que somos, é um tempo de descoberta e de acolhimento do projecto concreto que Deus tem para nós como pessoa e como casal.  

Não existem regras rígidas para rezar. Cada pessoa decide o que é apropriado para si (quando, onde e como). O mais importante para desenvolver essa profunda união com Deus parece ser a perseverança e a regularidade. 

Reflexão:

























“Eu neles e tu em mim, para que sejam perfeitos na unidade.” (Jo 17, 23) 

Cristo está presente de uma maneira muito especial quando os esposos rezam juntos. Não somente renovam o seu “sim” a Deus, mas atingem essa unidade profunda que só se consegue através da união dos corações e dos espíritos no sacramento do Matrimónio.

A oração conjugal torna-se a expressão comum de duas orações individuais e deve nascer naturalmente de uma vida Partilhada. Se cada um dos esposos tem o seu estilo de oração, é importante que tentem desenvolver uma maneira comum de rezar, para descobrir e viver uma nova dimensão da sua vida conjugal. A sua oração em comum será mais fácil, mais autêntica e profunda quando a escuta da Palavra de Deus e a oração silenciosa forem uma prática regular nas suas vidas.

O Magnificat, a oração de todas as Equipas de Nossa Senhora, pode fazer  parte dessa prece quotidiana.

Quando o casal tem filhos, é importante que um tempo seja reservado para a oração em família. O casal é, para os filhos, o primeiro lugar de aprendizagem. Cabe aos pais transmitir-lhes a fé e agir de tal maneira que a sua casa seja um lugar onde eles se sintam bem a rezar, por exemplo um momento de oração antes da refeição. 

Reflexão:






























“Sujeitai-vos uns aos outros no temor de Cristo.” (Ef 5, 21) 

O Dever de se Sentar ajuda-nos a revelarmo-nos, pouco a pouco, ao nosso cônjuge.

É um tempo que marido e mulher passam juntos, sob o olhar do Senhor, para dialogar com sinceridade, num ambiente tranquilo. Esse tempo de manifestação dos sentimentos e dos pensamentos entre marido e mulher permite um melhor conhecimento e uma ajuda mútua. 

Permite também fazer um balanço do passado, analisar a vida conjugal e familiar, fazer planos para o futuro e conversar sobre o projecto que escolheram.

O Dever de se Sentar evita a rotina da vida conjugal e mantém jovem e vivo o amor e o casamento. O seu valor é apreciado por todos os casais que o praticam, que reconhecem nesse encontro uma oportunidade para se amarem ainda mais.

É sempre bom começar o Dever de se Sentar com um tempo de oração ou de silêncio para tomar consciência da presença de Deus. O silêncio aprofunda o olhar de um sobre o outro, aproxima de Deus e cria uma atmosfera favorável. 



Reflexão:





















“Procurai fazer sempre o bem diante de todos os homens.” (Rom 12, 17) 

A Regra de Vida consiste em fixar o/os pontos sobre os quais cada membro do casal decide pessoalmente concentrar os seus esforços para seguir melhor a sua direção de crescimento e responder com alegria ao apelo que o amor de Deus lhe dirige. 

Escolher e assumir uma Regra de Vida ajuda cada um a aderir mais pessoalmente e de maneira concreta ao projecto que Deus tem para cada cônjuge e para o casal. É uma atitude ou diversas atitudes práticas que se tomam para progredir no crescimento espiritual e humano. Não se trata de querer multiplicar obrigações, mas de melhorar, pouco a pouco, com tenacidade, alguns dos pontos fracos ou de reforçar algumas qualidades.

Através da reflexão sobre os aspectos da vida pessoal, conjugal, familiar, cada um deve procurar a verdade sobre si mesmo, a fim de encontrar aquilo que se opõe à vontade de Deus. Como se trata de um caminho espiritual, o avanço não é linear e é preciso estar sempre a recomeçar. Esta regra deve ser regularmente revista. 


Reflexão:























“Vinde à parte para um lugar despovoado e descansai um pouco”. (Mc 6, 31) 

É fundamental reservar todos os anos um tempo suficiente para se isolar diante do Senhor, se possível em casal, num retiro que permita uma reflexão sobre a sua vida, na presença de Deus.

O Retiro é um tempo privilegiado de paragem, de escuta, de oração e uma oportunidade de renovação espiritual. É também um tempo forte para se voltar para dentro de si mesmo e fazer uma revisão geral de vida, sobretudo sobre o seu caminho de crescimento.

É, muitas vezes, uma possibilidade de melhorar o conhecimento do pensamento divino, que é entendido de uma maneira fragmentada ou sumária, nas leituras da Palavra e na vida do dia a dia.

Os casais das Equipas de Nossa Senhora são encorajados a tirar proveito da atmosfera especial dos retiros para se renovarem. São convidados a deixar os locais onde vivem e onde trabalham para que possam escutar Deus e entender o plano que Ele tem para o casal. 



0 comentários:

Postar um comentário