A pessoa perfeita não existe: aceitar os defeitos faz bem para o relacionamento



Existe um ditado: “quando chegar no fim da linha, faça um nó e siga em frente”. Em outras palavras, antes de desistir, tente resolver a questão. E como pesquisador em psicologia, acredito que esse ditado se aplique a relacionamentos também.

Antes de abandonar o problema, você deve buscar pelos “nós” que podem salvar você de acidentalmente deixar um bom relacionamento acabar. A ciência explica que as pessoas, quando analisam seus parceiros, tendem a enfatizar demais o lado negativo e a desconsiderar o lado positivo. Pense: se você pudesse construir uma relação perfeita, como ela seria?

Talvez mais importante seja pensar como o seu atual relacionamento é. As expectativas para os relacionamentos atualmente são maiores do que nunca. Diferente do que acontecia na época de nossos avós, por exemplo, em que nem sempre se podia escolher aquele com quem se relacionar e casar, hoje escolhemos. E quando um problema aparece, é tudo ou nada, e ninguém quer ceder.



As pessoas costumam fugir dos relacionamentos duradouros ou monogâmicos porque não encontram a pessoa perfeita. A esse grupo que escolhe demais e que apenas querem a perfeição, os pesquisadores chamam de maximizers. E há também o seu contrário: as satisficers – pessoas que já estão satisfeitas assim que um mínimo de qualidade é atingido. Para elas, “bom o bastante” já é aceitável.

Sem tolerar defeitos


Os maximizer tendem a explorar todas as possibilidades para garantir que não haja defeitos em seus parceiros. Esse fato pode parecer ideal, quase um senso comum, mas não é bem assim. Isso é um mito, porque pesquisas revelam que os maximizer demonstram maior arrependimento e maiores níveis de depressão, sentindo-se ameaçados por quem consideram ser melhor, ao longo do relacionamento. Eles também mostram baixa autoestima e baixo otimismo, e preferem tomar decisões reversíveis que não sejam absolutas.

 “A busca contínua por perfeição pode ser boa para comprar um carro, mas em seu relacionamento isso pode resultar na falta de reconhecimento do grande parceiro que está em sua frente”

Você percebe o problema? Em relações duradouras, as pessoas preferem mais “até que a morte nos separe” do que a tática “até que eu encontre alguém melhor”. Em geral, é clara a implicação no relacionamento: a busca contínua por perfeição pode ser boa para comprar um carro, mas em seu relacionamento isso pode resultar na falta de reconhecimento do grande parceiro que está em sua frente. Padrões impossíveis de serem atingidos podem transformar um relacionamento ótimo em um mediano.

Você também pode estar subvalorizando seu relacionamento ao ser muito rápido em identificar imperfeições e problemas. Isso se deve ao que os psicólogos chamam de negatividade: a tendência de somente reparar em aspectos ruins e negativos de uma experiência. Em outras palavras, quando seu relacionamento está indo bem, isso não é registrado. Mas os problemas? Eles chamam facilmente sua atenção.


Essa tendência é tão forte que, quando um relacionamento não tem maiores problemas, pesquisas mostram que as pessoas exageram quando pequenas crises acontecem. Ao invés de estarem agradecidas pela relativa calma, elas criam problemas onde antes não havia nenhum. Você pode ser o seu próprio inimigo sem sequer perceber.

Por isso, a chave é separar o que é crítico do que é apenas inconsequente, para distinguir menores questões de maiores problemas. Identificar isso permitirá que você guarde energia para problemas reais, deixando que crises menores apenas se resolvam sozinhas. Claro que, se o seu parceiro desrespeita, machuca ou abusa de você, esses são comportamentos que não podem ser ignorados e que podem acabar com a sua relação.

Veja as qualidades que homens e mulheres procuram em um parceiro:


Mulheres:

  1. Afeto
  2. Confiança
  3. Inteligência
  4. Conhecimento
  5. Segurança
  6. Esforço
  7. Estabilidade emocional
  8. Tranquilidade
  9. Sensibilidade
  10. Sociabilização

Homens:

  1. Confiança
  2. Afeto
  3. Inteligência
  4. Conhecimento
  5. Esforço
  6. Segurança
  7. Tranquilidade
  8. Estabilidade emocional
  9. Curiosidade
  10. Organização

 

O benefício da dúvida para o sucesso do relacionamento


Algumas pesquisas sugerem que você deve dar mais crédito do que seu parceiro de fato merece. Ao invés de ser realista, dê a ele o benefício da dúvida com generosidade. Você estaria mentindo para si mesma? Claro, um pouco. Mas os estudos mostram que esses tipos de ilusões positivas podem ajudar o seu relacionamento e diminuir conflitos, aumentando amor, satisfação e confiança.


Ter uma visão altamente otimista do seu parceiro convence você do valor que ele tem, o que se volta positivamente para você – é você que tem um parceiro tão legal, afinal de contas. As suas opiniões positivas também ajudam com que seu parceiro se sinta bem e tente manter a boa reputação que ganhou. Eles não tentarão diminuir você porque estarão concentrados em se comportar de acordo com a sua opinião. E isso beneficia o seu relacionamento.

FONTE: Gary W. Lewandowski Jr.*, The Conversation
* Professor de psicologia na Universidade Monmouth. 
SEMPRE FAMÍLIA
Tradução de André Luiz Costa.
©2019 The Conversation. Publicado com permissão. Original em inglês.
***
Compartilhe no Google Plus

About Marcio Bourbon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário